segunda-feira, 2 de outubro de 2017

Blog entrevista o pastor e Deputado Federal Marco Feliciano (PSC-SP)


Foto: Arquivo pessoal



O blog conversou com o pastor e Deputado Federal Marco Feliciano (PSC-SP). Ele falou sobre as polêmicas como "cura gay", Waldemiro x Marcelo Rezende. Também falou sobre sua infância, impeachment da ex-presidente Dilma Roussef, governo Michel Temer, entre outros assuntos.



Confira à entrevista abaixo:

1 - O senhor votou a favor do Impeachment da ex-presidente Dilma Rousseff. Em sua opinião, o Brasil melhorou ou piorou, após a saída da petista na presidência?

R - O Brasil melhorou consideravelmente, pois, o governo estava sem autoridade, cercado de assessores processados ou presos, sem maioria no congresso, denúncias de má gestão da coisa pública, enfim com prazo de validade vencido. E sem sombra de dúvidas houve crime de responsabilidade por parte da Presidente Dilma, as chamadas pedaladas fiscais, com manobras orçamentárias que tentava mascarar o enorme rombo as finanças públicas, o que se confirmou posteriormente, e hoje passamos pela maior crise econômica da história.

2- Qual a sua avaliação em relação ao governo Michel Temer?

R: O Presidente Michel Temer assumiu numa situação extraordinária, com o Impeachment da Presidente Dilma, e herdando uma oposição ferrenha, pois, o PT é ruim pra governar, mas ótimo pra fazer oposição, todavia com as medidas emergenciais aprovadas no Congresso onde tem maioria o Presidente conseguiu um índice satisfatório de novos investimentos, em torno de 1,7%, parece pouco, mas com um PIB de 3 trilhões de reais, o valor se torna expressivo, o desemprego parou de aumentar e o emprego com carteira assinada cresceu consideravelmente, apontandopara uma constante recuperação econômica em nosso país.

3- Nas últimas pesquisas, o ex-presidente Lula aparece em primeiro lugar com uma grande vantagem em relação ao segundo colocado, mesmo com suspeitas de corrupção. O senhor ficou surpreso com esses resultados?

R: Quando temos acesso às entranhas da política, como é o caso de nós parlamentares, as informações chegam com detalhes curiosos nem sempre de acesso ao público. Pesquisas de opinião são realizadas e o resultado é elaborado ao gosto do freguês. Os mais importantes institutos de pesquisas são suspeitos de manipulação: Ibope, Datafolha e Vox-Populi. Como pode o ex-presidente Lula ter índices enormes de rejeição e o que se vê em eventos com sua presença em sua terra natal e em todo Norte e Nordeste está esvaziado de público? Portanto é ilógico acreditar num primeiro lugar nas pesquisas eleitorais para Presidente da República.

4- O senhor foi eleito Deputado Federal em 2014 como o quarto mais votado do Estado de São Paulo. Isso te daria mais possibilidades de disputar às eleições 2018, no cargo de Governador de SP ou até mesmo Presidente?

R: Em 2014 fui o terceiro mais votado do meu Estado e o quarto do Brasil. É uma imensa quantidade de votos e serve de base para que especialistas façam uma projeção para uma eventual eleição majoritária, para governador ou Presidente da República. Sem falsa modéstia, nesses 8 anos de labuta legislativa, adquiri experiência pelo menos pra errar menos, minha formação cristã fixou no meu DNA uma característica importante para um governante, a humildade, qualidade que nos torna mais aberto ao diálogo com os adversários e procurarmos nos cercar de pessoas competentes. Acredito que cada Ministro tem de ter a capacidade e o carisma de poder ser ele próprio presidente da república. São cargos de muita importância para se testar o ocupante num constante acerto e erro, incompatível com a magnitude de um governo. 

5- "Cura Gay" voltou a ser assunto no Brasil, após o juiz Waldemar Cláudio de Carvalho, liberar tratamento aos gays. Após essa decisão, aconteceram vários protestos. O senhor também considera que ser gay, é uma doença?

R: Essa é uma excelente pergunta, porque nunca é demais repetir algo que a imprensa não cansa de deturpar. O Juiz na sua decisão teve o cuidado de frisar que não se trata de cura a possibilidade de atendimento clínico pelo profissional de psicologia por pessoas que não se sentem confortável emocionalmente com uma tendência de comportamento de afeição pelo mesmo sexo, e querem poder ao menos conversar com um profissional formado e que tem autorização do Conselho Federal de Psicologia para tratar pacientes que queiram ser acompanhados numa abordagem de atração pelo mesmo sexo o que é um paradoxo. Afirmo sempre, não existe cura para algo que não é doença, portanto isso que a imprensa reverbera não existe.

6- Outra grande polêmica que envolve religião e o LGBT é o filme "O evangelho segundo Jesus, Rainha do céu", em que Jesus Cristo na peça é travesti. O filme foi censurado em Jundiaí, mas está confirmado em Porto Alegre. Como o senhor vê essa questão?

R: Quem provoca a polêmica é quem, em nome de uma “arte” que pressupõe uma inteira liberdade criativa, mas a sociedade impõe limites, você não pode, por impedimento legal, incluir num script de uma peça teatral ou filme, cenas de sexo com incapaz, (criança ou tutorado) com animais, e usar símbolos religiosos de forma desrespeitosa. Jesus para nós Cristãos é Deus, o símbolo mais importante para mais de 90% da população brasileira, e por isso já previsto na lei, não tem discussão. É crime e fim de conversa. Não tem meio termo. As autoridades têm de se manifestar de ofício, se são provocadas é apenas pelo clamor público, para que saibam os que teimam em desrespeitar a fé alheia que terão suas obras aprendidas e arcarão com o prejuízo, apesar de que durante a o governo petista, esses empresários tinham a cara de pau de solicitarem verbas oferecidas pela lei Rouanet para financiar essas monstruosas manifestações que reluto em chamar de artística. Certamente colocar a figura de Jesus como travesti além de ser uma ofensa aos cristãos, também considero uma grande ofensa aos travestis, pois, muitos são cristãos e misturar um símbolo sagrado com um travesti, é impossível não resvalar para o caricato o que não acrescenta nada para ninguém.

7- O estilista Ronaldo Esper, que era gay assumido, passou a frequentar a Igreja Universal do Reino de Deus e depois disso, ele não se considera mais gay. Até li notícias que ele teria se apaixonado por uma mulher. Essa questão pode servir para a "cura gay" ou é um exagero de minha parte?

R: O Caso do Estilista Ronaldo Esper é muito pessoal, como qualquer outro, não existe fôrma para seres humanos. Deus deu características personalíssimas, cada um tem uma impressão digital e uma Iris dos olhos diferentes uns dos outro com bilhões de individualidades. Ele declarou que aos 70 anos resolver deixar de ter relações com outros homens, portanto pode se considerar se for vontade dele, não ser mais o que se denomina homo afetivo, se teria se apaixonado por uma mulher, bom pra ele, uma paixão ou um amor novo, sempre é bem vindo, portanto é exagero sim.

8- Há 20 dias, o jornalista Marcelo Rezende faleceu, vítima de falência múltipla dos órgãos em consequência de um câncer. O pastor Waldemiro Santiago disse em um culto que a doença de Rezende seria um "castigo" após uma reportagem que ele fez para a Record TV, direto da fazenda de Santiago, a pedido do bispo Edir Macedo, e dono da emissora. O Waldemirorecebeu muitas críticas e depois pediu desculpas. O senhor acha que o pastor exagerou na fala dele ou ele estava correto no que disse?

R: Até o fato do Apostolo Waldemiro ter pedido desculpas é um claro sinal de que exagerou, são palavras ditas no calor dos fatos, mas por se tratar de duas pessoas conhecidas o caso tomou vulto, mas o jornalista cumpria sua obrigação e o Apóstolo é um homem de Deus que jamais teria a intenção de ofender ninguém.

9- Voltando a falar de política, o prefeito de São Paulo João Dória está sendo criticado por parte da população por viajar demais nesse primeiro ano de governo. Qual sua avaliação sobre o inicio do tucano na prefeitura paulistana?

R: Não vejo críticas da população em relação às viagens, pois o que realmente acontece são críticas da oposição que provoca o Ministério Público com contendas perdidas, é fácil constatar a carga de trabalho do Prefeito Doria que 7 dias por semana está reunido com seus secretários, num dinamismo próprio da sua condição de empresário bem sucedido, agora na política.

As viagens de um Prefeito de uma megalópoles como é São Paulo, demanda muitos contatos tanto em outros estados como no exterior, e há relatos de já ter conseguido 700 milhões de reais de doações para a Cidade, em apenas 10 meses de governo e sem custo ao erário .

10- O senhor é a favor das privatizações?

R: O estado brasileiro sempre foi muito inchado e foram criadas muitas empresas públicas atuando em áreas onde seria muito mais produtivo ser entregue a iniciativa privada, ou melhor, que nunca fossem criadas pelo estado, com a única intenção de criar cabides de emprego para apaniguados. O PT sempre criticou as privatizações e usava esse argumento como arma política, mas criou dezenas de empresas públicas que hoje só dão prejuízo e são ineficientes, e a joia da coroa, a Petrobras, hoje já está sendo fatiada e privatizada em partes, o que se mostra salutar devido ao imenso complexo em que se tornou, com atuação em áreas que fogem a prospecção e refino de petróleo. Por esses motivos, sou a favor da privatização, para manter o Estado atuando apenas em áreas próprias como segurança externa e interna, saúde e educação. Qualquer área que for oferecida concessão à iniciativa privada é passível de fiscalização, portanto o interesse público será sempre mantido.

11- O presidente Michel Temer foi denunciado sob acusação de obstrução de Justiça e organização criminosa. O senhor é a favor do Impeachment do presidente?

R: O Presidente Michel Temer foi vítima de uma sórdida armação perpetrada pelos irmãos Joesley e Wesley Batista a fim de conseguirem uma delação premiada que os livrassem de penas altas em condenações de privação de liberdade. Nossas leis penais preveem 2 tipos de fragrantes, o esperado,onde se tem notícia de que um crime está para acontecer e a polícia é acionada e o reprime,durante ou logo após da consumação do crime, ação perfeitamente legal para o devido processo penal,também existe a figura do flagrante preparado, onde o agente público ou privado induz alguém a cometerum crime sem intenção anterior, apenas criando uma falsa vantagem, mas de consumação impossível, foi o que vitimou o Presidente Temer,portanto não há de se discutir impeachment do Presidente da República, se nem houve a possibilidade de delito, todo aquele episódio da mala com dinheiro pode-se enquadrar nessa tese e tornar nulo todo o processo .

12- Feliciano, agora mudando de assunto. Como foi sua infância?

R: Minha infância foi muito intensa, como é própria de um menino do interior, com uma família pobre,mas com conceitos de dignidade e amor que me moldaram o caráter, no respeito a Deus criador de tudo, a família, aos professores, as autoridades. Fui criado apenas pela minha mãe, Dona Lucia, semialfabetizada, mas com uma sabedoria inata quesempre tem uma resposta pronta, numa mistura de firmeza e doçura, próprias de alguém que quer o melhor para o filho.

13- Em que momento de sua vida o senhor decidiu ser pastor? 

R: Fui criado numa família católica, portanto meu primeiro contato com Deus foi numa Igreja Católica, onde fui escolhido como coroinha auxiliar do Padre e me interessei pela palavra de Deus, lendo a Bíblia de capa a capa, isso na primeira infância. Aos 13 anos fui convidado a uma igreja Evangélica Pentecostal, aquele agito, e a forma de se levar o evangelho as pessoas me cativou, quando me dei conta, queria aquilo pra mim, um púlpito e um microfone, foi amor à primeira vista e aqui estou a mais de 30 anos como pregador do Evangelho de Jesus, que me levou a milhares de cidade no país e dezenas de países.

14 - Deputado Marco Feliciano, o Blog do Leandro Leite agradece por você ter aceitado participar da nossa entrevista online. Muito obrigado.

R: Conte comigo!


0 comentários: